Assine por e-mail

Receba os artigos do VVI por e-mail

Arquivo: Geral

2 dez/16

Falem menos e joguem mais!

Antes de mais nada, é difícil encontrar palavras para confortar todos aqueles que perderam seus entes queridos na tragédia do voo da Chapecoense. Felizmente, muitos estão se mobilizando para amainar a dor de todos e espero que os culpados sejam punidos.

Voltando ao Internacional, é de se lamentar a sucessão de desencontros e infelizes declarações dadas por diretoria e jogadores nos últimos dias. Acho que é um retrato de um Inter que, nem num momento destes, conseguiu fazer algo direito em 2016.

Minha opinião: primeiro, parem de falar. Quantas mais falamos, pior ficamos. Segundo, baixem a cabeça e vão trabalhar. Tem uma rodada de campeonato para acontecer. O adiamento foi compreensível dado a proximidade da tragédia, mas o campeonato tem que ter fim, até mesmo em homenagem à Chapecoense. Em outras tragédias do esporte, não se cancelou o campeonato.

Parece que jogador de futebol é o único que não pode trabalhar depois de uma fatalidade como esta. Ou alguém ouviu de algum jornalista pedindo para cancelar a programação devido aos amigos e colegas que faleceram no mesmo voo? Ou você, no seu trabalho, poderia deixar de trabalhar tanto tempo por causa de uma tragédia? É difícil retomar, mas a vida segue…

Tem que jogar e ganhar. Se o Sport não ganhar, ótimo. Se não der, vamos jogar a série B ano que vem e voltar. Faz parte do jogo. O que não pode é não ter a última rodada. Se não ficará para sempre que o Inter só caiu porque não jogamos a última rodada ou que não caiu porque houve uma virada de mesa porque não teve a última rodada.

Por fim, sobre a ação no STJD. Acho válido o clube procurar os seus direitos. Se um clube não segue os procedimentos corretos, tem que ser punido. E está no direito de qualquer um pedir que seja julgado. A decisão final é do juiz. Só acho ruim entrar com a ação agora. Passa uma mensagem de que não acreditamos mais que dá para escapar dentro de campo.

30 nov/16

SOMOS TODOS CHAPECOENSE

1480512955_750x400

Depois de tanto tempo sem fazer um artigo, não poderia me abster de escrever algumas palavras sobre a tragédia que nos abateu no dia de ontem. Pessoas deixaram essa terra de maneira estúpida ficando para trás as famílias, sonhos e uma legião de seguidores. Hoje, amanhã e sempre seremos todos Chapecoense e porque não Atlético Nacional. A mobilização que este clube e sua torcida estão fazendo lá na Colômbia neste exato momento e de arrepiar e serve de exemplo (espero que sirva mesmo), para todos os clubes do planeta, os brasileiros principalmente.

 

9 jul/16

O Inter precisa de mudanças

Argel-Fucks

Eu costumava ser sempre um defensor do técnico Argel, achava que as críticas em cima dele eram injustas, e não deixei de pensar assim definitivamente, ele tem muita culpa sim, porém não tem como fazer milagre com um grupo de jogadores tão deficitário, e uma direção tão lenta, e incompetente.

Argel chegou a um clube que estava destroçado, que vinha de uma eliminação na semifinal de libertadores, e um Gre-Nal onde havia levado uma goleada histórica, fora as vendas de jogadores importantes pós-libertadores. O técnico conseguiu encontrar uma forma de jogar, mesmo que tenha sido criticada até o fim do campeonato, conseguiu ser um dos melhores do returno. E neste ano com o título gaúcho, a humildade de sempre, e o bom começo no brasileirão fizeram com que amenizasse a desconfiança em cima de Argel.

Com um grupo escasso de qualidade, o que vinha acontecendo de produtivo era lucro, quem imaginou que poderíamos liderar o brasileirão, ganhar de São Paulo e Santos fora, e Atlético Mineiro em casa? Não tinha como não se empolgar, mas todo colorado realista tinha em mente que provavelmente isto era apenas um Sprint de início de campeonato, e que só poderíamos sonhar mais alto depois que realmente o elenco fosse reforçado. Novos jogadores chegaram, em um momento de total instabilidade, e derrotas sequenciais. Mas ainda o jogador que realmente precisamos não chegou, Seijas é o principal reforço do ano, é um grande jogador, porém não é o armador que vai pifar os jogadores, ou por a bola no chão, nem é o estilo dele. Ariel é o jogador que faltava para o nosso ataque, estava agoniante ver os laterais colorados cruzarem tantas bolas na área e nunca ter ninguém para finalizar, parece que o Ariel é o cara que vai fazer isto.

Precisamos de mudanças, mas não tenho coragem de jogar toda culpa em cima de Argel, e achar que só ele é o problema, não vai ser contratando outro técnico que as coisas vão mudar radicalmente. Necessitamos que a nossa direção seja um pouco mais competente, e aja com inteligência, para pelo menos lutarmos por algum título nacional, neste ano. Isto é o que tanto almejamos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...